Chef cria movimento nas redes por reabertura de restaurantes no jantar

Um manifesto via redes sociais de uma célebre chef está batendo às portas do governador João Doria. O motivo? O impedimento da reabertura de restaurantes durante a noite na cidade de São Paulo. Apesar da flexibilização do isolamento e a autorização da abertura de bares e restaurantes em horário reduzido, o governo de São Paulo e a prefeitura proibiram atendimento após às 17h e também vetam os serviços em local aberto (calçadas, por exemplo). A capacidade de atendimento dos estabelecimentos está limitada em até 40% como medida preventiva a disseminação do novo coronavírus.

A chef e apresentadora de TV Danielle Dahoui, proprietária do Ruella Bistrô, cobra um posicionamento do governo do estado sobre o motivo de ter sido liberado o funcionamento da área de alimentação de shoppings, já que “sendo uma área fechada, o risco de contaminação do vírus pode ser ainda maior se comparado com uma área externa”, diz Dahoui.

Segundo ela, seu restaurante está fechado há mais de 4 meses, e com um quadro de 26 funcionários além dos custos mensais como água, energia e impostos, corre o risco de fechar. A chef segue complementando o salário dos funcionários que passaram a receber auxílio do governo previsto na MP 936 , para conservar os postos de trabalho durante a pandemia. Porém, “até quando vou conseguir manter?”, disse em entrevista à EXAME. “Se essa situação permanecer, eu precisaria de ao menos R$ 400 mil para desligar todos os meus colaboradores. Infelizmente o setor está falindo, e estamos ficando sem forças”.

A empresária pleiteia a liberação dos serviços no horário do jantar, já que este é o período de maior faturamento para o setor de gastronomia. Por duas semanas, o Ruella atendeu em sistema de delivery no horário de almoço, porém, os custos foram maiores do que a receita. Foram adotadas medidas preventivas contra o vírus como o distanciamento de 2 metros entre as mesas, tapetes para desinfecção de calçados, cardápio e pagamento via QR Code, o uso de luvas, máscara e viseira pelos colaboradores e limpeza recorrente de filtros do ar-condicionado.

“Na maioria dos países foi liberado o serviço de bares e restaurantes nas calçadas, inclusive em outros estados brasileiros, exceto aqui em São Paulo. Eu ainda não entendo o motivo de nos impedirem de trabalhar”, disse.

A chef, juntamente com um grupo de outros chefs, pretendem acampar na próxima sexta-feira, 31, em frente a casa de Doria para cobrar um posicionamento, já que tentativas anteriores foram frustradas.

View this post on Instagram

@jdoriajr PERMITA QUE OS RESTAURANTES POSSAM TRABALHAR A NOITE no #jantar das 18h às 22h respeitando todas as medidas de #segurança para não deixarmos a curva subir de novo A última coisa que queremos é projudicar seja quem for. Já estamos com tudo pronto há mais de 2 meses seguindo todas as normas para minha amada #equiperuella , Fornecedores e Clientes ficarem seguros 35% do setor de #restaurantes já faliram, não deixe que esse número aumente POR FAVOR ajude os milhões de #trabalhadores do ramo da #hospitalidade continuem trabalhando e sustentando suas #familias POR FAVOR @jdoriajr e @brunocovas 🙏🏻🍴❤🍷 porque os restaurantes de #shopping já estão funcionando em lugares fechados e nós que temos área aberta e somos de rua, continuamos fechados a noite?????? No Termo de Compromisso assinado com a Prefeitura, os restaurantes, bares e similares poderiam funcionar até as 22h há 15 dias atrás… Todavia, o Governo do Estado de São Paulo, resolveu, no dia seguinte, limitar o horário de funcionamento para até as 17h, trazendo inúmeros prejuízos a todo o setor e, em especial, àqueles estabelecimentos que só funcionam à noite. RESTAURANTES não tem aglomeração, todos ficam sentados com o devido distanciamento, bebem só para acompanhar a comida … então PORQUE NÃO PODEMOS ABRIR? Nos mantivemos fechados, respeitando todas as normas, mas já fazem 140 dias que o @bistrosruella está fechado, #delivery não funcionou, #almoço não tem público na região … minhas forças estão definhando, estou com dívidas gigantes nos bancos… os #impostos e #iptu continuam sendo cobrados… aluguéis… contas públicas… seguros… muitossss etc’s Em respeito a #pandemia me mantive fechada eu e minha Equipe em casa para diminuir a curva e ajudar a salvar vidas, além de tentar preservar os profissionais de saúde. Mas agora não dá pra entender o porque de abriram tudo, menos os #restaurantes à noite? PORQUÊ????? @governosp ??? . . #nãodeixefecharaconta #naodeixeacontafechar #sosbareserestaurantes #comidaderesistencia #gastronomy #brasil🇧🇷 #chefs #cozinheira #bares #ruella #chefdahoui desde1996 lutando #empresarios #empreendedores #sp #sãopaulo

A post shared by @ChefDahoui (@chefdahoui) on Jul 26, 2020 at 12:59pm PDT

O Plano São Paulo, medida estabelecida pela gestão estadual para determinar a flexibilização da quarentena, deve fazer uma nova alteração em suas regras na próxima semana. Atualmente, a cidade de São Paulo se encontra na fase amarela.  Os critérios para a transição da fase amarela para verde depende da quantidade de internações e mortes a cada 100 mil habitantes no município. Segundo a secretária de desenvolvimento econômico, Patrícia Ellen, nenhuma região vai transacionar para  a fase verde se não alcançar menos do que 40 internações a cada 100 mil habitantes  e 5 óbitos a cada 100 mil habitantes.

The post Chef cria movimento nas redes por reabertura de restaurantes no jantar appeared first on Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *