Pagar, esquecer, obedecer, implicar: 4 regras para não errar mais

Muitos profissionais acabam gerando descrédito ao apresentarem redação confusa, ruim. Em tempos de tamanha exigência de produtividade, saber escrever bem é importantíssimo. Nesta coluna, revisaremos regências adequadas ao padrão da Língua Portuguesa:

1. ESQUECER / LEMBRAR:

Esqueci o livro sobre a mesa.
Esqueci-me do livro…
Não esqueça as suas tarefas.
Não se esqueça das suas tarefas.
Já lembrei totalmente o latim.
Já me lembrei totalmente do latim.

Se houver uso da preposição, o pronome deve aparecer.

Há também uma outra possível construção, que pede objeto indireto. Tem valor de “ocorrer, vir a memória como ato involuntário”:

Lembrou-me seu número de telefone. (Ocorreu-me, veio a mim)

2. IMPLICAR

Pede objeto direto quando significa “acarretar”, ou seja, não exige a preposição:

O novo presidente do BC implicou prejuízos ao FMI.

3. OBEDECER (DESOBEDECER)

Pede objeto indireto e preposição A:

Condutor, obedeça aos sinais de trânsito.

4. PAGAR / PERDOAR

Pede objeto direto e indireto. Para simplificar, use a ideia: PAGAR/PERDOAR algo A alguém:

Nelson Gonçalves pagou a conta ao garçom.
O bom filho perdoou a dívida ao pai.

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
http://www.ARRAISCURSOS.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Professor de Língua Portuguesa
Fundador do ARRAIS CURSOS

The post Pagar, esquecer, obedecer, implicar: 4 regras para não errar mais appeared first on Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *