Indicado para educação é sócio de gigante que faz de tablet a brinquedo

Renato Feder, atual secretário da Educação do Paraná que deve ser escolhido como novo ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro, foi um executivo de sucesso antes de mergulhar na política. Co-presidiu, entre 2003 e 2018, a Multilaser, ajudando na guinada da estratégia da companhia que nasceu em 1987 no ramo de reciclagem de cartuchos de impressoras.

No fim de 2018, Feder decidiu deixar a gestão da Multilaser para construir uma carreira no setor público. Desde então, não tem cargo na administração da companhia, mas permanece como acionista minoritário.

A Multilaser tem hoje mais de 3.000 colaboradores e 3.500 produtos disponíveis em milhares de pontos de venda, de itens de informática, celulares e brinquedos. Recentemente abriu sua primeira loja física, lançou um smartphone em parceria com a Nokia e aposta em produtos para a casa conectada.

A Multilaser doi fundada por Israel Ostrowiecki, que veio ao Brasil com os pais fugindo da Segunda Guerra Mundial e é pai do atual presidente, Alexandre Ostrowiecki. Alexandre assumiu a empresa após a morte do pai, em 2013, e dividiu o comando com o amigo de infância e sócio Renato Feder.

A empresa percebeu que o negócio de cartuchos tinha um limite para expansão e muitos concorrentes. Pensando nisso, a empresa lançou uma nova linha de produtos de informática, setor que tornaria a Multilaser conhecida em todo o Brasil.

A expansão do portfólio da Multilaser começou sobretudo em 2013, com o lançamento da linha Multikids, com produtos como mochilas, brinquedos e jogos para crianças. A partir daí, a companhia não parou mais: vieram nos anos seguintes marcas como a Atrio, de artigos esportivos, a Pulse, de equipamentos de som, ou a MultilaserPro, de equipamentos para sistemas de internet, como cabos de fibra óptica.

O mais recente lançamento foi a Warrior, marca de equipamentos para jogos, como cadeiras e mouses e teclados especializados. A empresa também tem uma linha de brinquedos sob a marca Multikids.

Novas apostas

No final de 2019, a empresa lançou , sua primeira loja física em São Paulo, localizada no piso térreo do Shopping Pátio Paulista. Na ocasião, a empresa também lançou o smartphone chamado Multilaser H, que tem tela de 6,3 polegadas com resolução Full HD (1080p), câmera traseira tripla e processador Snapdragon 710, o mesmo usado pela Motorola no celular com tela flexível Razr.

A nova loja vende cerca de 400 produtos, dentre os mais de 3 mil do portfólio da companhia brasileira. Alguns exemplos são celulares, notebooks, tablets, patinetes, alto-falantes com Bluetooth e acessórios para computadores. A Multilaser não tem plano de criar franquias de suas lojas pelo país, mas irá testar, em breve, lojas dentro de redes de varejo parceiras.

Em 2020, a aposta da empresa brasileira é oferecer produtos para a casa conectada. A linha Liv chegou ao mercado neste mês de maio e conta com 14 dispositivos, como tomada inteligente, controle remoto universal, câmera com detecção de movimento, fechadura biométrica e sensor de presença. Os dispositivos são compatíveis com inteligências artificiais que obedecem a comandos de voz, como a Amazon Alexa e o Google Assistente. Os produtos poderão ser controlados por meio do aplicativo chamado Multilaser Liv, que está disponível para smartphones com sistema operacional Android e iPhones.

Em junho, a Nokia se aliou à brasileira para trazer ao país seu novo smart­phone, o Nokia 2.3. “Trabalhar com uma empresa local séria e bem estabelecida é uma estratégia interessante para distribuir produtos de forma eficiente e evitar armadilhas”, disse Alexandre Ostrowiecki, presidente da Multilaser, à EXAME na ocasião.

The post Indicado para educação é sócio de gigante que faz de tablet a brinquedo appeared first on Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *